(11) 2758-5040    (11) 99641-2367

Urologia

Cálculos urinários

Popularmente conhecidos como “Pedra nos Rins”, são aglomerados de cristais minerais que se formam no interior do trato urinário e que podem migrar através dele ou obstruí-lo causando dor.

Incidem mais nos homens que nas mulheres e, na maior parte dos casos, são formados por uma combinação de cálcio, oxalato e fosfato. Há diversas formas de tratá-los, desde medidas comportamentais até intervenção cirúrgica, a depender do tamanho e posição em que se encontram.

Contamos com ampla experiência no tratamento do cálculo urinário, inclusive com cirurgia à laser: um tratamento moderno, seguro, efetivo e minimamente invasivo que pode eliminar o cálculo antes mesmo que este desencadeie crises de cólica renal.

 

 

Disfunção Sexual Masculina

As Disfunções Sexuais Masculinas podem alterar as respostas psicológicas e fisiológicas do corpo frente aos estímulos sexuais, causando sofrimento e insatisfação não só na pessoa, como também no seu par.

A prevalência desse distúrbio é cada vez mais frequente na população em geral, podendo se manifestar como diminuição do libido (desejo sexual), disfunções eréteis (“impotência”), disfunções ejaculatórias (mais frequente na forma de ejaculação precoce), alterações do orgasmo e até mesmo em aversão sexual.

Em alguns casos os agravos à Saúde Sexual podem estar associados com o Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino (DAEM), popularmente conhecido como “Andropausa”.

A avaliação completa e individualizada é o melhor caminho para o tratamento dessas alterações e envolve uma relação médico-paciente de confiança para se chegar aos melhores resultados possíveis.

 

 

DSTs

As Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs) são doenças causadas por microrganismos que se transmitem, principalmente, através das relações sexuais com uma pessoa que esteja infectada e geralmente se manifestam por meio de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas.

Apesar da área de contato ser normalmente os genitais, a prática de sexo anal e oral pode também causar infecções. Algumas DSTs podem não apresentar sintomas, tanto no homem quanto na mulher.

Isso requer que pessoas que se expuseram a relações sexuais de risco sejam avaliadas por profissional competente. Essas doenças, quando não diagnosticadas e tratadas adequadamente, podem evoluir para complicações graves como infertilidade, câncer e até a morte. O urologista é o médico melhor preparado para diagnosticar e tratar as principais DSTs no homem.

 

 

Doenças da Próstata

Um dos problemas mais comuns da próstata é o seu crescimento benigno (Hiperplasia Prostática Benigna – HPB) que, com o passar do tempo, pode comprimir a uretra e causar dificuldade para urinar.

Outra doença muito prevalente relacionada à glândula é o Câncer de Próstata, que no Brasil é o segundo mais comum entre os homens (atrás apenas do câncer de pele).

O rastreamento (exame de sangue e toque retal) deve ser iniciado aos 45 anos para os indivíduos fumantes, afro descentes ou com familiares de primeiro grau com a doença.

Para os demais, o recomendado é que a avaliação se inicie aos 50 anos. Com o diagnóstico precoce é possível o tratamento adequado e, na maioria dos casos, cura da doença.

Uma outra alteração frequente associada à próstata é a Prostatite. Constitui uma doença inflamatória da próstata e seus sintomas envolvem principalmente dor pélvica e em baixo ventre. Avaliação adequada e tratamento precoce evitam complicações, tais como abcesso prostático e infecção sistêmica.

 

 

Infecção urinária

A Infecção Urinária é uma doença muito frequente na população, principalmente no sexo feminino. Na maioria das vezes a infecção é causada por bactérias que vivem no intestino, principalmente a Escherichia coli responsável por mais de 70% dos casos. Infecção urinária no homem ou infecções frequentes (de repetição) em mulheres exigem avaliação do urologista para investigação, diagnóstico e tratamento adequados das causas associadas com a doença, além de medidas efetivas para evitar a recorrência do quadro.

 

 

Incontinência urinária

Estima-se que mais de 8 milhões de brasileiros tenham Incontinência Urinária, problema que pode acometer homens e mulheres. Entre as pessoas com idade superior a 60 anos, a incidência é maior. Mulheres são mais predispostas do que homens. O primeiro passo na investigação da incontinência urinária é procurar um médico e informá-lo sobre sua história médica e a forma como os sintomas afetam sua vida.

 

 

Câncer de Rim

O Câncer de Rim representa 2-3% dos tumores malignos do adulto. Essa doença é mais frequente nos homens que nas mulheres entre 50 e 70 anos de idade. A maioria dos pacientes não apresenta sintomas ao diagnóstico. Apenas 5% manifestam os sintomas clássicos que incluem: hematúria (presença de sangue na urina), dor lombar e massa abdominal palpável.

Embora não se saiba exatamente a principal causa do Câncer Renal, algumas medidas preventivas são recomendadas: interrupção do tabagismo, controle da pressão arterial, dieta saudável, atividade física regular e controle do peso. Para melhores esclarecimentos quanto à doença e o tratamento adequado para cada caso, agende uma avaliação com o urologista.

 

 

Câncer de Bexiga

A bexiga é um órgão que tem como função armazenar a urina produzida pelos rins até que seja eliminada por contração da sua musculatura. Já foram identificadas diversas substâncias que se associam a uma maior incidência deste tipo de tumor, especialmente as relacionadas ao cigarro e a algumas substâncias químicas, como os corantes.

O sintoma mais frequente é a presença de sangramento visível na urina, habitualmente vermelho vivo e acompanhado de coágulos. Mais raramente, este sangramento só poderá ser observado através de um exame de urina. Como a presença do sangue pode decorrer de outras doenças do trato urinário, o médico poderá solicitar alguns exames de imagem para avaliar as estruturas, diagnosticar e tratar adequadamente a doença.

 

 

Câncer de Testículo

O Câncer de Testículo é mais comum em homens com menos de 45 anos de idade. A criptorquidia (quando um ou ambos os testículos não descem para a bolsa testicular) é o principal fator de risco. É importante a detecção precoce da doença, que pode ser auxiliada pelo autoexame do escroto. Ao tomar banho, basta palpar os testículos e observar se apresentam nódulos (“caroços duros”) ou aumento de volume. Caso encontre algo errado, procure um urologista para melhor avaliação.